Pesquisar este blog

sábado, 29 de agosto de 2009

Gafe social do Programa do Jô

Coisa rara é assistir ao Programa do Jô, mas ultimamente isso tem acontecido com uma certa freqüência. Não gosto dele, Falei! Aquele ar de competição que faz com alguns entrevistados, o desprezar de alguns que ali sentam, enfim, se não está afim de fazer a entrevista que não aceite. Ele já tem cacife suficiente para dizer um não sonoro a produção. Mas convidar uma pessoa e fazer pouco caso do assunto é muito para mim. Por essas e outras não gosto da pessoa Jô, embora essa visão tenha se transformado ao longo do tempo
Para toda a exceção tem a sua regra.

Mas tudo isso para falar da gafe que aconteceu nessa sexta dia 28 de Agosto de 2009.


Primeiro entrevistado: Paulo Gustavo. Um cara muito. Não conhecia ele, nunca vi nenhum espetáculo, mas só dele ter levantado da platéia ele já havia me conquistado. Adoro pessoas que mesmo sérias me fazem rir. E ele é desse tipo.


Jabá para a peça dele que pretendo assistir tão logo:
Minha Mãe é uma peça: Critica do Globo


O cara é muito figura e na sua entrevista para o Jô, ficou contando "causos" de sua vida e um deles ocorreu com a também humorista Samanta Schmutz


Relatou que os dois saíram de uma festa trebados e na volta foram parados por uma blitz com 10 carros. Além de bêbados, estavam com IPVA atrasado e sem carteira. Pois bem, ele saiu do carro para desenrolar com o PM, falando que eram atores, etc.. O PM liberou e eles foram embora dirigindo e BÊBADOS.

Contado por ele a historia é hiper engraçada, mas vamos lá que isso não é para rir e sim para lamentar que a PM faça isso e mais, que ele conte essa história as gargalhadas e a maior gafe de todas: Adivinha que seria entrevistado logo após ele:

Os pais do Gilmar Rafael,rapaz que morreu decapitado naquele acidente no Paraná pelo deputado Fernando Cali Filho, que corria a 190Km/h, completamente embriagado.

Nossa, eu achei de uma falha absurda essa edição do programa, além de uma falta de respeito surreal.

Quem nunca cometeu uma gafe que atire a primeira pedra, mas penso que no mundo de orgia deliberativas em que vivemos, uma pessoa publica deve ter um cuidado redobrado ao fazer determinadas declarações na Tv.
Mas sem dúvidas, a pior de todas foi a produção do programa não ter tido a delicadeza de perceber tamanho absurdo.


Indico:
Hannah e suas Irmãs de Woody Allen

E absurdo é a história da Hannah


E para Nunca Desistir: Desafiando Gigantes

Nunca vi, mas recebi indicação desse filme, como se fosse um filme motivacional.



4 comentários:

  1. Eu tb naum gosto dele não, acho ele muito nojento.

    ResponderExcluir
  2. Caramba, eu achava ele tão inteligente.
    Coitada da família de quem perdeu alguém assim, deve dar um ódio ouvir alguém falando dessa forma em desrespeitar o trânsito.
    Não tinha reparado ainda que ele destratava algum convidado, vou reparar melhor, kkkkkkkk.

    A Lei do Triunfo? Bom é a melhor forma da gente saber o que fazer na vida, ele pesquisou por 25 anos qual são os fatores que fazem alguém ser bem sucedido em qualquer assunto. Ele é bom sim, vendeu muito e muitos dos que leram tão ricos. Espero que goste.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Então, que coisa feia sair bêbados!!
    Acho que deveriam de certa forma dar exemplos! Ainda bem que o Jô é um programa adulto. Imagina se tivesse crianças assistindo!?
    Bem, não desejo censura, mas é bom sim uma organização das pessoas que vão ser entrevistadas. Talvez eles não contavam com essa declaração do ator!

    Bem.. não gosto muito de "Desafiando gigantes", essa é a verdade! Gosto, mas não muito! Explico porque! Primeiro pq é dos tipos de filme que vém com uma ideia já formada evangélica não abrindo para outras formas de pensar! Um muçulmano, um ateu, ou um confuncionista vai ver o filme como um filme doutrinário. Precisa dar "Glória a Deus" pra poder vencer! Como assim!?: O dia a dia é tudo bem diferente.

    ResponderExcluir